terça-feira, 4 de maio de 2010

PSD defende recuperação da Lagoa da Vela

Ambiente Vereadores vão propor candidatura ao QREN
PSD defende recuperação da Lagoa da Vela

◗ Jot’Alves

Os vereadores do PSD defenderam ontem a recuperação do ecossistema degradado, a conservação dos valores naturais, o uso sustentável, a educação e sensibilização e a participação das populações. Este caderno de encargos baseia-se num estudo da Comissão de Coordenação de Desenvolvimento Regional do Centro (CCDRC) e é hoje apresentado, sob a forma de proposta, na reunião de câmara.

Em conferência de imprensa, os vereadores da oposição adiantaram que a autarquia pode apresentar uma candidatura ao Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN). Não obstante a comparticipação financeira das diversas entidades que tutelam a Lagoa da Vela, zona classificada e de implantação de um complexo turístico e habitacional com um campo de golfe.

“Não temos dúvidas que a candidatura depende da vontade política”, frisou Miguel Almeida.

Desde 2000 que não se intervém no maior lago natural do litoral Centro e uma das maiores da Península Ibérica (67 hectares alagados). Naquele ano, era Santana Lopes quem mandava na Figueira da Foz. Mandou dragar a lagoa, mas foi obrigado a parar pelo Ministério do Ambiente, entidade que sugere uma candidatura ao QREN.

Entretanto, já secou várias vezes, provocando outras tantas mortandades de peixe. O último Inverno foi generoso e a vida pulula no local, mas pode ser água de pouca dura, devido ao excessivo assoreamento.

Aquela foi a primeira de 18 iniciativas que os vereadores do PSD vão realizar nas freguesias. “Vamos ouvir os problemas e anseios das populações e dos eleitos, para depois apresentarmos propostas na reunião de câmara”, explicou Miguel Almeida.

Na Lagoa da Vela, o presidente da Junta de Bom Sucesso, Dário Acúrcio, subscreveu “na íntegra” as propostas dos visitantes.

Por outro lado, advertiu que “a lagoa nunca será preservada se as populações não obtiverem contrapartidas”. Nomeadamente, usufruir dela como espaço aquático de lazer (natação, pesca desportiva e embarcações de recreio sem motor).

Ligação para esta notícia

2 comentários:

Anónimo disse...

É UMA VERGONHA, ESTAR UMA LAGOA DESTAS NO ESTADO EM QUE ESTÁ, PODERIA DE CERTO SER UM GRANDE FUNDO TURÍSTICA. É TRISTE MAS É O PAÍS QUE TEMOS.
SE FOSSE PARA REALIZAÇÃO DE ESTRADAS A CCDRC APROVAVA TUDO.

David disse...

A questão é que não se pode fazer o que quer numa área que está protegida por lei(p.ex. Rede Natura 2000), e o facto de estar cada parte a puxar a brasa à sua sardinha vai atrasando qualquer intervenção. É necessário chegar a um equilíbrio entre a exploração antrópica e a defesa dos valores naturais desta zona.

Publicar um comentário